quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Hoje não...



Não existe o medo, não existem borrascas, não existe a cólera, não existe o nada.
Só o que existe são os teus olhos demasiadamente pretos, teu olhar sombrio e soturno, só existe o peso das tuas lágrimas, só existe o peso da tua ausência. Hoje não existe nada que me fará esquecer, hoje não quero entender os teus motivos. Não mais me interessam tuas desculpas, hoje e somente hoje eu vou te compreender, não vou te perdoar, por que meu velho, isso nunca poderei fazer. Hoje não vou me preocupar com o resto de nós, hoje te abraçaria se a vida assim permitisse.
Hoje não estou com saudades, hoje não estou puta contigo, hoje te aliviarei.

Bruno, sempre estarás presente.

Nenhum comentário: