quarta-feira, 19 de junho de 2013

How can we grow old When the soundtrack of our lives is rock and roll?



Como eu posso envelhecer se tenho o rock como trilha sonora?
Bom, minha mãe diz que rock é música de velho, que jovem gosta de sertanejo universitário, ou sertanejo de qualquer espécie.(não sei mesmo qual é a diferença, também não é algo que tenha meu interesse, não precisam me explicar a diferença no caso de haver uma e esta nada ter a ver com a idade e o tempo de carreira dos músicos). Não gosto e não tenho o hábito de desvalorizar a música de alguém, se serve para levar alegria as pessoas me deixa feliz. Também não sou o tipo de pessoa que faz do rock uma bandeira. Penso que as cousas devem ser naturais, e sim, eu julgo as pessoas pela música que ouvem. (leram isso, EU JULGO AS PESSOAS, que louca devo ser, admitindo o que não se admite. Só creio ser bobagem e hipocrisia não admitirmos o julgamento que fazemos. Já disse anteriormente e vou me repetir, estamos todos julgando e sendo julgados, o tempo todo, isso da pano pra manga pra caralho, voltarei a tocar nesse assunto em outra hora).sabemos muito sobre uma pessoa de acordo com as músicas que elas ouvem. Eu por exemplo sou bastante brega e clichê, gosto daquilo que me deixa feliz e creio que tudo tem seu valor, sendo o rock a minha trilha sonora, como se ele estivesse em um pedestal, como se dentre as músicas este fosse o supra sumo das canções. Não sei se percebo o passar dos anos da mesma maneira que o resto das pessoas. Estou hoje com 27 anos, não me sinto diferente de quando tinha 17 (exceto que meu salário era mais alto naquela época). Não posso dizer que penso exatamente da mesma maneira que pensava naquela época, que parece ter sido mês passado. Ainda sou amiga dos amigos que tinha, adquiri novos e mantive os antigos, ainda tenho os mesmo ídolos, ainda não me convenci da existência de um deus, ainda não comprei um carro, ainda tenho os mesmos medos e os mesmos grandes sonhos.Meu cabelo está melhor agora, mas  ganhei uns quilinhos, rsrsss, se perde aqui e se ganha ali, academia me matando por conta disso. Ainda gosto de vinho, filmes e de ficar em casa, ainda tenho essa estranha relação com a lua cheia, e ainda torço (suavemente) pelo mesmo time. Ainda prefiro as unhas compridas e curto chapéu. Ainda ouço as mesmas músicas, ainda canto as mesmas músicas com minha mãe, ainda acredito que meu irmão é o mais foda do mundo. Ainda tenho no meu primo Jeco o maior herói, ainda gosto da casa da minha vó. Ainda amo cachorro, agora amo dois específicos e ainda penso na Tuquinha. Ainda amo corujas, curto violinos, noites de vagabundo, cigarro e vinho a La Constantine,  estrelas de difícil visualização(agora tenho um telescópio pra vê-las melhor), filmes de guerra e canções de amor, filmes de amor e canções de guerra, filmes onde a porrada come continuam sendo meus favoritos. Ainda sou loucamente apaixonada pelo Tony Stark, ainda acho que o Yoda fodão é, ainda acho muita cousa como achava naquela época. Ainda amo literatura, (agora academicamente falando). Contestar a bíblia, discutir política e religião continuam sendo  cousas boas a fazer. Ainda tenho um carinho louco de especial pelo meu namorado da época, claro não é mais meu, mas eu tinha que viver, tinha que sentir o mundo na ponta dos dedos, era preciso, mas ele ainda continua sendo especial, e ele sabe disso, o que é deveras relevante dada a situação.
Claro que voltar atrás, voltar a estudar e mudar de vida, tem seus percalços, mas somente financeiros. Nunca parei de trabalhar por que não gosto de gente que não trabalha, só trabalho diferente agora, voltar a universidade é fácil sim, e é bom, nada supera realização pessoal e tenho uma mãe que é a melhor do mundo, sempre me apoia, tenho uma boa tia e um bom irmão, minha vó as vezes, mesmo sem entender muito o que se passa acaba dando apoio por adesão rsrs. Quem tem o rock como sua trilha sonora não envelhece, fica Cult, vintage, não é um envelhecer como algo que acaba, é envelhecer como um vinho bem abrigado. Na verdade o rock é como um vinho,ou como estrelas, ou como diamantes que são imortais, rock e diamantes são imortais. Bem , eu não sou imortal( que pena) voltarei ao pó, espero que já tenha completado mais de uma centena de invernos quando  tiver que retornar.enquanto isso...And the best is yet to come I know, you know .That we've only just begun. Through the highs and lows...”


Um comentário:

ricardo duarte disse...

Curto pacas essa ´música, e curti, também não sou velho, sou vintage.