domingo, 25 de novembro de 2012

Apareces

Então , absolutamente do nada, sem aviso ,
 sem sorriso, sem prólogo
 e sem motivo tu apareces na minha vida.
 Com as tuas cores, com as tua falas,
 e com as tuas caras.
Com as tuas veias, com as tuas velas.
Apareces com as tuas vidas,
Com as tuas virdras.
Sem as tuas rimas,
Gosto do fato de teres aparecido. 
Não sei exatamente a função que exerces
Inegável que com algumas das muitas de mim
Tu mexes.
Curto os teus olhos
E o teu olhar.
Curto a tua pele
e o teu suor.

Um comentário:

Luciano disse...

Porra, bem que tu poderias um diazinho falar sobre mim, fico aqui lendo teus vãos amores como gostas de falar...