terça-feira, 31 de julho de 2012

Yoda loucão anda!

Esse negócio de vida afora e noite adentro combina muito comigo, mesmo que a noite seja de lua negra e o mar não tenha claras águas. Até acho que de fato prefiro as águas turvas, e no fundo no fundo as águas profundas são sempre as melhores. Yoda melancólico ser. E se na visão da macrohistória nada gera um general, também não me impressiono assim tão fácil com filmes de guerra ou canções de amor. Gosto de viver as noites, gosto de pensar nas esquinas soturnas da minha rua, nas vidas que seguem vida a fora noite adentro. Gosto de pensar no que será que Agagê pensava enquanto compunha, gosto mais de fantasiar sobre o que ele penava, uma vez que li todos os seus livros e conheço as cores capazes de cegar quem tem medo de enxergar. A vida noturna é sempre mais pesada, enfumaçada e com um blues, a vida na noite tem sempre um charuto e inimigos na trincheira, ghuantanameira militar já era, hoje em dia a ilha se curva. A noite de águas turvas e cigarros baratos, vinhos baratos, fantasmas que bebem pela companhia tem também amigos caros. Hoje eu nasci confusa, perdoe-me se tu não entendes o que lês, também não sei se eu ao escrever entendo. Sim, eu entendo, eu sempre entendo, e isso é de certa forma assustador. Se nesse mar turvo de idéias loucas eu consigo me encontrar, é que a cousa ta feia. Yoda loucão anda!

Nenhum comentário: