quarta-feira, 11 de abril de 2012

Afasta-te de mim sua ingrata

Hoje tentei de tudo, de tudo pra não pensar em ti. Mas como tu fazes isso? Como entras em minha mente e sugas todo o resto? Que espécie de poder é esse que exerces sobre mim, como consegues me manter assim tão fiel a esse amor que sequer sabes a existência?
Gostaria muito que alguém sentisse por mim o que eu sinto por ti, talvez só metade já me bastasse. Tu estás sempre nos meus pensamentos, sempre presente na minha vida, e sempre é sempre mesmo, até quando não estás por perto, e como nunca estás isso se faz mais estranho. Sinto falta da tua vóz, do som da tua risada, do teu olhar festivo e alegre. Tua alegria sempre me contagiou. Hoje não me sinto bem. Não me sinto bem por muitas cousas, mas a maior delas é o fato de que hoje senti uma ponta de esperança. Essa ingrata esperança que sempre faz com que nos enganemos. Sou consciente e disse já (para mim mesma) que não te tomarei como meu, não farei isso hoje, não fiz ontem e não farei amanhã. Mas esta esperança, hoje ela disse que ficaria ao meu lado e permaneceu, tento afastá-la de mim, não a quero, sei de tudo o que impossibilita e jamais faria algo que pudesse vir a atrapalhar, não farei isso jamais. Jamais darei o primeiro passo, nem o segundo tão pouco quero que o faças, assim como está é como já disse a zona ( dentro da situação) mais confortável pra mim. Mas hoje eu não sei por que só hoje senti um brilho, uma centelha de possibilidade. Sei que o que senti é inexistente, sei que o que senti pode e é sem dúvida fruto de uma dose a mais de vinho. Esperança desgraçada, preciso que vás embora, pois não, eu não estou te dando ouvidos! Não quero pensar em ti hoje, quero te trair, quero me trair, preciso me golpear e trair o que sinto, não me faltam possibilidades, me falta força, e a força está me faltando muito ultimamente. Por que não consigo trair algo que sequer existe? De fato sou muito fraca mesmo, preciso espantar esta dama chamada esperança que sentou-se ao meu lado, má companhia, afasta-te de mim sua ingrata!

2 comentários:

Livia Marina disse...

"...pai afasta de mim este cálice..."


hoje eu também senti esta sorrateira e ingrata esperança me espreitando, me induzindo, me inspirando.

huhauhauahuahauhaua
cousas da vida.

Livia Marina disse...

"...pai afasta de mim este cálice..."


hoje eu também senti esta sorrateira e ingrata esperança me espreitando, me induzindo, me inspirando.

huhauhauahuahauhaua
cousas da vida.