quarta-feira, 11 de abril de 2012

Afasta-te de mim sua ingrata

Hoje tentei de tudo, de tudo pra não pensar em ti. Mas como tu fazes isso? Como entras em minha mente e sugas todo o resto? Que espécie de poder é esse que exerces sobre mim, como consegues me manter assim tão fiel a esse amor que sequer sabes a existência?
Gostaria muito que alguém sentisse por mim o que eu sinto por ti, talvez só metade já me bastasse. Tu estás sempre nos meus pensamentos, sempre presente na minha vida, e sempre é sempre mesmo, até quando não estás por perto, e como nunca estás isso se faz mais estranho. Sinto falta da tua vóz, do som da tua risada, do teu olhar festivo e alegre. Tua alegria sempre me contagiou. Hoje não me sinto bem. Não me sinto bem por muitas cousas, mas a maior delas é o fato de que hoje senti uma ponta de esperança. Essa ingrata esperança que sempre faz com que nos enganemos. Sou consciente e disse já (para mim mesma) que não te tomarei como meu, não farei isso hoje, não fiz ontem e não farei amanhã. Mas esta esperança, hoje ela disse que ficaria ao meu lado e permaneceu, tento afastá-la de mim, não a quero, sei de tudo o que impossibilita e jamais faria algo que pudesse vir a atrapalhar, não farei isso jamais. Jamais darei o primeiro passo, nem o segundo tão pouco quero que o faças, assim como está é como já disse a zona ( dentro da situação) mais confortável pra mim. Mas hoje eu não sei por que só hoje senti um brilho, uma centelha de possibilidade. Sei que o que senti é inexistente, sei que o que senti pode e é sem dúvida fruto de uma dose a mais de vinho. Esperança desgraçada, preciso que vás embora, pois não, eu não estou te dando ouvidos! Não quero pensar em ti hoje, quero te trair, quero me trair, preciso me golpear e trair o que sinto, não me faltam possibilidades, me falta força, e a força está me faltando muito ultimamente. Por que não consigo trair algo que sequer existe? De fato sou muito fraca mesmo, preciso espantar esta dama chamada esperança que sentou-se ao meu lado, má companhia, afasta-te de mim sua ingrata!

Não entendo a lógica da páscoa

Páscoa.  A páscoa, tem muita lógica mesmo! E não é por que eu estou mal humorada, por que sim, eu estou de péssimo humor, mas não é por isso que eu não compreendo a páscoa. Qual a lógica? Na quinta houve a janta ( a ceia que se foi santa eu não sei), Na sexta houve a crucificação, ta entendo, foi triste e tal ( e teve aquele lance da rave que só os fortes entenderão). No sábado teve aquele lance Tristão que o José de Arimatéia enrolou o corpo morto de Jesus e tal, mas também no sábado é o dia em que se queima o boneco de Judas.( Judahh . Mais uma que só os fortes entenderão) . Daí vem no domingo o coelho da páscoa trazer chocolatinho pra que agente se empanturre e fique gorda!! Sim por que não é no domingo que o Nazareno  volta, não seria no terceiro dia?
Pois é como já passou a páscoa, já passou o segundo e até o terceiro dia não é nisso que irei me deter, só precisava desabafar um pouquinho, uma vez que não há lógica alguma nisso!!
Passado momento desabafo preciso comentar sobre os chocolates. Estou agora neste momento enchendo a barriga de chocolate e hoje já é dia 12. Será que só agora eu percebi que estou com uma montanha de saborosíssimos chocolates amargos de ovos deliciosos e de muitos bombons da melhor qualidade?! Ou será que somente agora eu percebi que minha vida está uma merda e estou tomando um porre de chocolate? Acredito que seja um pouco de cada um. Enquanto eu não consigo resolver os meus problemas eu continuo aqui, comendo chocolatinho que é docinho e curtindo o amargo da vida!!!

domingo, 1 de abril de 2012

Pensar eu penso, mas e quanto a existir?

Quando penso em ti ( e tenho feito com muita frequência) não procuro encontrar aquilo que temos incomum, mas aquilo que temos diferente. Deve ser por que no fundo, bem no fundo (lá longe das fantasias que permeiam minha mente) eu saiba que muito embora eu pense sermos parecidos talvez não sejamos. Quando penso em ti vejo a tua força, confesso que me inveja um pouco a força que tens, tenho me sentido tão fraca... Quando penso e ti fico tentando a todo custo encontrar os teus defeitos, não tenho tido muito sucesso com isso. Deus do céu, onde estão os teus defeitos? É impossível que tu não os tenha, me sinto tão pequena por possuir uma infinidade de imperfeições gritantes enquanto tu ostentas uma lista invejável de cousas maravilhosas, de características que bem poderiam ser descritas em um livro de romance barato como as Júlias que lia na adolescência. Quando penso em ti sinto vergonha, é tenho andado como quem retrocede e acredite, é no mínimo uns dez anos, logo me sinto com quinze anos novamente, só que sem aquele brilho todo que havia em meus olhos.  Quando penso em ti recordo de todas aquelas ondas de alegria que emanam do teu sorriso e confesso que é nesta hora que mais sinto tua falta. Quando penso em ti minto pra mim o tempo todo, alimentando em falsas esperanças, Quando penso em ti permito que as lágrimas caiam livremente, pois quando penso em ti perco o controle de toda e qualquer cousa...Penso em ti bastante, mas creio que na verdade este é um amor que de fato não existe, e talvez sequer seja por conta do seu unilateralismo, são essas cousas da vida que agente não explica, simplesmente agente acorda e tharam, está apaixonada. Mas  quando penso em ti, apenas penso em ti.