sábado, 3 de março de 2012

Para onde olhas agora com teus olhos de ressaca?

As madrugadas são demasiadamente densas, agradeço a companhia do Dé amigo amado, e agradeço a companhia do bom e velho free.  Como nessas densas madrugadas me torno tão ridiculamente melancólica. Rememoro cada vez que o vi, ele com seus olhos de ressaca.  O vejo vagando pelas ondas soturnas da noite. E assim tomo-me em conjecturações acerca do que possa ele estar fazendo.  O que o traz para essas águas tão distantes, será que perdeu o sono, ou será que como eu tem como hábito viver as madrugadas? Que motivos o levam a navegar em ondas tão fracas como essa, será que tem companhia em seu barco, será que navega solitário como eu, ou como um velho lobo do mar, ou piratas ciganos, é sim, aqueles que gatam o que ganham pelo prazer de sonhar... Sempre recordo desta canção, minha mãe a cantava pra mim. Mas voltando ao devaneio noturno do dia, no que será que ele pensa, o que será que aqueles olhos veem agora, nunca saberei... Mas continuo aqui, no meu barco onde só cabem a mim, meu free, e quem sabe algum vinho barato, já que a noite não exige algum que seja bom  uma vez que não há brinde a ser feito...

2 comentários:

Diegão disse...

No meu barco cabem um bom vinho, um maço de back e tu!

Livia Marina disse...

uau!