terça-feira, 11 de outubro de 2011

Valeu aí Goethe pelo balde de água fria!


Só pra variar andei pensando. Agora sobre relações, gente que se quer gente que não se quer. Até aí tudo bem, tudo no âmbito da normalidade. Mas e quando as cousas ultrapassam o que para mim ao menos era considerado normal?
A estranheza sempre gera conflito, é inevitável.
Deparar-se cara a cara com a rejeição é de fato algo assustador, e faz com que façamos uma pausa, o que está acontecendo, qual é o problema. Fato é que não há problema algum, mentira, problema é o que mais tem, mas não são os problemas o problema.
A questão é simples demais, quem não está acostumado, quem nunca passou por isso até que está no lucro a julgar pela loucura que paira sobre esse terreno. É que a primeira vez dói, não uma dor lancinante , nem uma dor contínua, também nem chega a ser uma dor dolorida, é o um susto, uma queda do pedestal.
Pra quem sempre teve tudo que quis não ganhar de primeira é sempre uma decepção, todos passam por isso e todos avisavam-me que chegaria tal dia, o estranho é que isso aconteceu fora do padrão...
Uma vez , já tem um tempinho alguém me disse (acho que foi Goethe )
“Nem todos os caminhos são para todos os caminhantes."
E eu que nem gosto de uma polemica o contestei dizendo que bobagem, todos podem traçar o caminho que quiserem, basta esforço.
Eu deveria ser jovem quando disse isso. Não que eu ainda não pense dessa forma, mas convenhamos contestar Goethe não é lá muito sábio! Agora ele me provou que estava certo e eu errada!
Valeu aí Goethe pelo balde de água fria!








Nenhum comentário: