domingo, 30 de outubro de 2011

não sejas mais peso em minha cruz


Como tu me pedes para te recusar se sei que isso é mero fruto da tua insanidade permanente?
Não existe isso, não existe recusa, não existe aceitação, só existimos nós, não, tampouco existimos nós.
Não há o que não seja, tudo é e tudo faz parte do processo de reestruturação.
Não há o que não seja da força, do carinho.
Só há o que não seja.
E tu me  pedes pra te recusar?
Como pedes isso?
Se tu precisas de mim.
Eu te recuso se é isso que me pedes.
Mas como irei saber a hora de parar de recusar?
Como irei saber o momento em que não mais devo recusar.
Por que me pedes o que sabes que não posso te dar.
Nunca te peço nada, não quero que me pacas.
Não resolvo teus problemas,não quero ser responsável pelas tuas quedas, não quero ser o braço forte.
Não quero ser tua fortaleza,nem tua razão.
Não quero ser nada pra ti, não quero sequer tua consideração.
Só não me pedes o que não posso te dar.
E não atribua a mim o que não sou eu que faço.
Não me culpa dos crimes que eu não cometi.
Já tenho meus próprios pecados, não quero mais kg na minha cruz.
Não me peças o que eu não vou te dar.
Não me coloques contra a parede, não me deixes maluca sem saber em que horas estás reproduzindo o que de fato queres.
E por que escreves?
Pra que eu leia?
Não quero ler teus escritos, não quero ouvir tua voz, não quero atender tuas ligações, não quero ler tuas mensagens.
Mas penso que tu deves ter algo a dizer, e eu devo te ouvir já que somos o que somos.
E sedo.
E é cedo.
Mas desejo sorte!
Quero que sejamos felizes.
Não te peço o que sei que não me darás,sequer quero aquilo que tão insistentemente me ofereces.
E tu me pedes a recusa?
Recusa-te primeiro.
Ama-te primeiro.
Entenda-te primeiro.
E não aumenta meus pecados.
E não tenta fazer com que eu me sinta culpada pelos teus fracassos.
Se o desejo existe, e ele existe, não o ignora, mas não me peças mais ajuda.
Por que se me pedires eu não recusarei.

2 comentários:

Rafa Laza disse...

Muito interessante analogia entre cruz, gostei do bom humor...

Fredie disse...

Confuso, bonito, mas confuso!!