quinta-feira, 21 de julho de 2011

meias

Hoje fez frio, mas frio mesmo, daqueles de ranguear cusco. Eu gostei por que adoro uma friaca.  Pensei: Vou colocar duas meias! O problema é que não havia meia, ao menos não pares de meia. Mas como isso se na semana passada eu comprei meias novinhas, um pacote com quatro que custaram dez reais, e eram maias boas, da marca ‘abidas’, nem se percebia essa pequena diferencinha!­­­­­­­­ E agora? Sem problemas, sou uma mulher versátil e decida, não será um par de meias (ou a falta dele) que me abalará. E também por que temos que usar o par de meias? Estamos sendo limitados e seguindo a maré.
Não, dei um basta nessa imposição da mídia e da indústria das meias, uma de cada! E fui, faceira pra FURG. Lembrei do Doby, ele achava ridículo usar o par de meias, sempre estava com uma de cada, cara sábio o Doby, nem preciso dizer que chorei muito a sua morte! Fato é que toda essa questão das meias me fez refletir um pouco. Fiquei conjecturando acerca disso, e as teorias não são lá muito agradáveis,estou com medo agora!
Existe uma força, talvez algo relacionado com magia negra, sei lá, mas é do mal. Bem esta força estranha(não aquela que me leva a cantar, essa é outra) age entre a saída das meias do varal e a segunda gaveta do mau guarda roupas. Talvez não seja magia negra, pode ser um fenômeno da natureza que a ciência ainda não tenha explicado.
Eu não desconsidero a existência dos famosos gnomos comedores de meias.  Sim, eles existem, e são seres malignos que roubam nossas meias para se alimentar.
A outra hipótese é a mais provável. Existe um buraco de minhoca dentro da minha gaveta das meias! Elas caem ali e vão parar em outra dimensão, em outro plano, sabe-se lá onde minhas soquetes vão parar. Isso sim é assustador, agora, pensando bem, nem vou mais abrir essa gaveta, vai que eu caia lá dentro e suma,o lado bom é que pode ser que eu encontre minhas meias, o ruim é que eu não sei pra onde irei!
Portanto se eu não postar mais nada por  aqui na semana que vem, me procurem dentro da segunda gaveta do meu roupeiro ok?
Enquanto isso eu continuarei seguindo a tendência versátil do meu elfo mais amado que não gosta de meias iguais!
 
Foto: Shana Corrêa.


Pés








Pés que nos guiam
Que nos carregam
Com o nosso peso
Dias mais leves
Dias mais pesados
Hora passadas largas,
Apressadas
Hora suaves caminhadas
Na beira da praia.
Pés que nos carregam
Pelos caminhos da vida
E pelos caminhos que insistimos em passar
Pés que nos governam
Que nos levam para bem onde querem.
Que nos levam a dançar
A correr
A pisar e a parar.
Peço aos meus pés que me guiem
Não sou eu quem os controla
Permito que eles corram soltos
Deixo que me levem onde querem
Não sou eu quem os controla
Não mais.

Fotos: Shana Corrêa.
Cara do dono dos pés:

                                                                                 
Pés da louca do blog: