sábado, 21 de maio de 2011

Penso agora neste momento ( é madrugada enquanto escrevo) , enfim, penso na minha solidão e na dualidade que vem junto com ela. Penso e sei que exagero, mas como diz um amigo muito amado meu" tudo se intensifica na madrugada". Como eu ia dizendo eu reflito sobre as questões melancólicas que acompanham a solidão.
Pois bem falarei primeiro sobre o lado negativo que a solidão me traz.
É uma questão de ótica e tudo tem dois lados, algumas cousas mais de dois...
 Vejo a noite, vejo a lua, está cheia, linda e triste, triste como eu, sempre me identifico com ela, a lua, ela e eu temos um elo, temos uma ligação, ligação tênue que talvez somente eu perceba. Olho através dos vidros empoeirados da minha janela e percebo que a solidão é levemente suja. Digo isso pois é o que percebo , e a julgar pela bagunça que vejo ao meu redor tenho certeza absoluta disso. A solidão da madrugada tem um leve toque de podridão, uma carga de grande decadência, o que fazer quando se encontra nesse estado deplorável?
Não sabendo responder decidi fazer apenas aquilo que minha decadência me permite. Ligo então o som e ouço Since L've been Loving You, por pensar que é este o momento para tal canção. Como que para acompanha-la acendo um cigarro do meu masso recém adquirido. Me posto novamente à janela, e a lua não mais quer falar comigo, parece que até ela, minha amiga mais distante e mais presente não quer minha companhia neste momento. Na ausência da lua procuro algo a me apegar, algo que não seja mais um cigarro, como não encontro entrego-me a mais um... Penso na beleza da canção e recordo-me que um dia muito distante em uma das várias vidas que vivi já bebi nesta fonte , refiro-me a fonte da música, das melodias e dos acordes...Hoje não bebo mais, não por qualquer outro motivo, mas somente pelo fato de que não tenho mais essa sede.
Por falar em sede, penso no que há pra se beber, e como que por dedução óbvia sirvo-me uma bebida, e a quanto tempo não fazia isso, hoje me permito, por que hoje eu me permitiria qualquer coisa, hoje qualquer proposta seria aceita, hoje eu me permito. Mas hoje não existem propostas, hoje não existem possibilidades, hoje sequer existe a lua . Para mim hoje só existe a minha janela empoeirada, minhas roupas sujas atiradas pelos cantos, minha bebida, meus cigarros e meu zeppelin.

3 comentários:

dudaotrindade disse...

shaninha...
Tu sabes que eu gosto de te ler, se tu escrever um livro eu compro ok??!!

lucasironmaden disse...

Boa pedida, since l've been loving you...
mto foda essa música e certo que combina com esses momentos que agente sempre acaba vivendo...
Led é led, sempre presente na vida dagente!

Shana Corrêa disse...

Du, se eu em algum dia escrever um livro certamente te mandarei um exemplar...
lucas, é sim, essa música tem tudo a ver com o memento, eu ao menos penso assim.
Abraços gente!